Aleitamento.com
AmamentaçãoMãe CangurúCriançasCuidado PaternoHumanização do PartoBancos de Leite Humano Espiritualidade & Saúde DireitosProteçãoPromoçãoILCA / IBCLCConteúdo ExclusivoTV AleitamentoGaleria AMNotíciasEventosSites e BlogsLivrariaCampanhas
 
Faça seu login e utilize ferramentas exclusivas. Se esqueceu a senha, acesse o "cadastre-se" e preencha com seu e-mail.

MUSICOTERAPIA no Mãe-Canguru

Por: Martha Negreiros

Marcando ritmo com o coração

   

 
A cada acorde musical, uma lágrima. A cada batida do tambor, uma emoção. A cada choro, um desabafo. A agonia das mães de bebês prematuros nascidos na Maternidade-Escola da UFRJ, em Laranjeiras, dissipa-se durante as sessões de Musicoterapia. Chocalhos, congas, pandeiros, violões e surdos compõem o cenário do programa criado para aliviar os ânimos das mamães cujos filhos estão internados na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e na Enfermaria Mãe Canguru.


Sob olhares atentos de psicólogas e musicoterapeutas, todas as participantes cantam suas músicas preferidas e, ainda, arriscam nos instrumentos. O trabalho ajuda, ainda, o aleitamento materno. Depois que uma das mães jorrou leite durante encontro, a coordenadora do projeto, Martha Negreiros Sampaio Vianna, percebeu a necessidade de estudar a relação da música com o aleitamento. O resultado foi para lá de positivo tanto que o programa se chama Musicoterapia no Aleitamento Materno Exclusivo (Mame).


(...) Três vezes por semana, além de aliviar os ânimos cantando – e diga-se de passagem que qualquer gênero musical é bem-vindo –, as mamães se reúnem para falar da saúde de seus filhos. “A troca de experiência é essencial para a recuperação emocional das participantes”, explica o musicoterapeuta Albelino Silva Carvalhaes.

O comportamento das participantes é observado atentamente por estagiárias de Musicoterapia, que registram os dados para depois, então, analisar as emoções, auxiliando no desenvolvimento psicológico das mães.

O tratamento musicoterápico se estende até a alta do bebê da Enfermaria Canguru – que ocorre quando ele ultrapassa dois quilos e apresenta estabilidade clínica.
(...)

Viviane Barreto
Jornal O Dia – Editoria Ciência e Saúde
31 de agosto de 2003

Arquivos para download:
Donwload 1


Última atualização: 14/7/2011

 

Curtir

Comentários


Essa é uma área colaborativa, por isso, não nos responsabilizamos pelo conteúdo. Leia nossa Política de Moderação.
Caso ocorra alguma irregularidade, mande-nos uma mensagem.

 

Depoimentos

Gostou do site? Ele te auxiliou em algum momento? Deixe seu depoimento, assine nosso livro de visitas! Clique aqui.

Quem Somos | Serviços | Como Apoiar | Parceiros | Cadastre-se | Política de Privacidade/Cookie/Moderação | Fale Conosco
O nosso portal possui anúncios de terceiros. Não controlamos o conteúdo de tais anúncios e o nosso conteúdo editorial é livre de qualquer influência comercial.
Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao navegar no mesmo, está a consentir a sua utilização. Caso pretenda saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade/Cookie.
25 Ano no ar ! On-line desde de 31 de julho de 1996 - Desenvolvido por FW2 Agência Digital